Sambista falece nesta quinta e Flamengo emite nota de pesar
Sambista falece nesta quinta e Flamengo emite nota de pesar
Publicidade

Em decorrência da crise sanitária global, Nelson Sargento morreu hoje (27) aos 96 anos, no Rio de Janeiro. Segundo a assessoria do artista e do INCA (Instituto Nacional do Câncer), a morte do sambista aconteceu por volta das 10h45 (horário de Brasília).

Através das redes sociais, Flamengo, Vasco e Corinthians também fizeram homenagens ao sambista. Veja abaixo as publicações:

Publicidade

Sargento havia sido transferido para a UTI no último sábado (22) após testar positivo para a covid-19. O quadro de saúde dele era considerado grave. O cantor e compositor estava internado no INCA desde o dia 20, com um quadro de desidratação, anorexia e “significativa queda do estado geral”, segundo o boletim médico divulgado nas redes sociais de Nelson.

Nelson Sargento também era escritor, ator e artista plástico. Ele era o presidente de honra da escola de samba Estação Primeira de Mangueira. Um dos principais nomes da cultura do samba e do Carnaval, Sargento compôs com reforço de Jamelão “Cântico à Natureza” (ou “Primavera”), samba-enredo da Mangueira em 1955 — ano em que a escola ficou em segundo lugar no Carnaval carioca.

Nelson chegou à Mangueira com 18 anos, quando se integrou à ala dos compositores da escola, por onde desfilou ininterruptamente até o Carnaval de 2020. No Carnaval de 2019, quando a Mangueira conquistou seu último título com um enredo que enfocava personagens esquecidos pelos livros de história, Nelson desfilou representando Zumbi dos Palmares.

Nelson Sargento tinha cerca de 400 canções e 30 discos gravados.

Retirado de: UOL

Publicidade