Piris da Motta arrisca “calote” turco por nova chance no Flamengo
Piris da Motta arrisca “calote” turco por nova chance no Flamengo
Publicidade

Valeu esportivamente e foi dessa maneira que Piris da Motta encarou a passagem pelo futebol da Turquia. De volta à seleção do Paraguai, o volante assumiu o risco de “calote” do Gençlerbirligi para voltar ao Flamengo e ficar à disposição de Rogério Ceni. Para isso, rescindiu o contrato a tempo de pegar a janela de transferências aberta e buscará na Fifa seus direitos com o clube recém-rebaixado na Superliga Turca.

O empréstimo ao Gençlerbirligi só terminaria no próximo dia 31, mas como era preciso uma definição antes do dia 23 para que fosse regularizado na CBF, Piris da Motta solicitou a antecipação do fim do contrato. Conforme noticiado pelo canal “Paparazzo Rubro-Negro”, os trâmites ocorreram a tempo do paraguaio ter condição de jogo já a partir do início do Brasileirão.

Publicidade

Piris da Motta em números

  • Pelo Flamengo: 46 jogos / 2.370 minutos / Nenhum gol
  • Pelo Gençlerbirligi: 36 jogos / 3.188 minutos / Seis gols

Rogério Ceni, por sua vez, terá que esperar para contar com o jogador – que chegou a solicitar a contratação nos tempos de Fortaleza. Piris se apresentou ao técnico Eduardo Berizzo para as partidas contra Uruguai e Brasil pelas eliminatórias sul-americanas para o Mundial do Qatar. Caso permaneça no grupo para a Copa América, só se apresentará ao Flamengo após a eliminação do Paraguai, que tem partidas confirmadas pelo menos até o dia 27 de junho, quando termina a primeira fase.

Com a rescisão do contrato, o Gençlerbirligi já enviou os documentos pertinentes para transferência e o Flamengo já os enviou para CBF. O clube turco deve quatro meses de salário a Piris da Motta, e a expectativa é de que seja necessário acionar a Fifa para que o montante seja pago.

Por outro lado, Piris está satisfeito com o retorno dentro de campo de sua passagem pela Turquia. Foram 36 partidas das 40 do Gençlerbirligi na SuperLiga Turca, todas como titular, e seis gols marcados. O paraguaio ficou fora apenas das quatro em que esteve suspenso pelos 12 cartões amarelos que recebeu.

Como comparativo, o volante teve mais minutos jogados na temporada que passou na Turquia do que nos quase dois anos em que ficou no Flamengo. Foram 3.188 em 36 jogos contra 2.370 em 46 exibições com a camisa do Rubro-Negro carioca.

Retirado de: Globo Esporte

Publicidade