Pai registra filho como Gabriel Henrique Arrascaeta e mãe desaprova: “Nome horrível”
Pai registra filho como Gabriel Henrique Arrascaeta e mãe desaprova: “Nome horrível”
Publicidade

O amor por um clube de futebol é capaz de levar um torcedor a fazer coisas inimagináveis. No Amazonas, um flamenguista surpreendeu sua própria família e nomeou seu filho em homenagem ao Mais Querido. A forma de escolha, no entanto, não foi muito convencional.

Gênesis, fanático pelo clube decidiu, em decisão tomada por impulso e sem consentimento de sua esposa, registrar seu filho como Gabriel Henrique Arrascaeta Chagas da Silva. Em entrevista ao portal ge, o pai do bebê contou a história do nome.

Publicidade

— No começo foi difícil convencer minha esposa porque ela não queria Arrascaeta, ela achava que era meio feio e não conhecia o jogador. Aí eu mostrei para ela quem era o jogador, mostrei os gols que ele fazia e disse que eu gostava muito. Até que a maternidade toda soube que ia ser Arrascaeta, todo mundo ficou falando, foi aquele alvoroço.

Inicialmente, a ideia do pai era de nomear seu filho como “Bruno Henrique”, nome que havia agradado sua esposa. No entanto, o camisa 27 não foi suficiente para o torcedor, que decidiu ir muito mais além.

— Como flamenguista foi fácil. Devido à final da Libertadores, daquelas conquistas de 2019, com Gabriel, Bruno Henrique, Arrascaeta, Everton Ribeiro… Quando a gente descobriu que ela estava grávida, fizemos um acordo: se fosse mulher, minha esposa escolheria o nome. Se fosse homem, eu escolheria o nome. Quando descobrimos que seria menino, já tinha em mente o que ia fazer. Eu falei para ela que seria Bruno Henrique. Ela gostou. Falou: “nome bonito”, entramos num acordo – contou, antes de continuar:

— Depois de alguns meses, eu falei: “Vamos mudar o nome para Gabriel Henrique”. Passou um tempo e, quando ele nasceu, eu vim com a surpresa: “O nome vai ser Gabriel Henrique De Arrascaeta.” No início ela não aceitou, brigou comigo, ela estava operada ainda, porque ele tinha acabado de nascer. Eu falei que ia realizar meu sonho. Eu queria colocar Ribeiro, mas meu nome não tinha Ribeiro, nem o dela. No cartório, falou que não podia. Também não podia pôr o “De” do Arrascaeta.

A mãe de Gabriel, porém, não gostou nada da história e reclamou muito da escolha feita pelo seu marido.

— Por mais que eu fosse escolher o nome da menina, eu idealizei Bruno Henrique ou Gabriel Henrique. Não passava na minha cabeça esse Arrascaeta, nunca. Para mim é um nome estranho. Eu disse: “Meu Deus, eu não acredito que você vai fazer isso, essa criança pode sofrer bullying”. Já pensou quando ele estiver adolescente, chamarem ele para jogar bola? Não vão chamá-lo de Gabriel, mas de Arrasca.

Fernanda de Medeiros Chagas, de 34 anos, ainda brincou dizendo que ameaçou  ir embora com o filho quando soube do nome registrado.

— Eu falei: “Se você fizer isso, eu vou levar ele embora. Eu vou embora com ele, e você nunca vai ter o prazer de chamá-lo de Arrasca. Disse que ia trocar o nome dele, mas está aqui, pode mais fazer nada. Quem sabe até a adolescência dele eu já tenho aceitado. Por enquanto estou digerindo tudo isso.

Confira o registro de nascimento:

Publicidade