Jornalista revela característica dos capitães do Flamengo
Jornalista revela característica dos capitães do Flamengo
Publicidade

O DIA: POR VENÊ CASAGRANDE

“Cada um tem a sua liderança. O Filipe fala mais com a gente e não com a imprensa. Diego Alves, Diego são líderes em campo. Tem eu que sou um líder, mas totalmente diferente deles. Totalmente espontâneo, que vai no juiz e briga pelo time. O Gerson tem comprado a nossa ideia de ser um líder. Renê e Arão estão aqui há muito tempo. Liderança é o que não falta. Precisamos voltar a vencer os jogos que aí vai ter líder para caramba”.

Publicidade

Essas foram as palavras utilizadas por Gabigol em recente entrevista coletiva ao ser questionado sobre lideranças do elenco do Flamengo. Embora o camisa 9 tenha citado inúmeros atletas, é de conhecimento público que o time possui três capitães no time: Diego Alves, Diego Ribas e Everton Ribeiro. O ‘zero 01’ é o meia Diego, que inclusive utilizou a faixa na vitória sobre o Goiás na última segunda-feira, ao substituir Gerson, suspenso. Na ausência do camisa 10, que não é titular atualmente, Everton Ribeiro assume a posição e, caso os dois não estejam em campo, o camisa 1 herda o posto.

Embora seja um dos capitães do Flamengo, Everton Ribeiro não costuma aparecer para dar entrevistas. A última do camisa 7 aconteceu no dia 10 de junho. De lá para cá, o Rubro-Negro enfrentou dificuldades, eliminações em duas competições – Copa do Brasil e Libertadores – e cobranças de torcedores, com direito a protesto na porta do CT Ninho do Urubu. Diferentemente de Diego Ribas, que costumar “botar a cara” nos momentos turbulentos, o camisa 7 não enfrentou os microfones durante este período.

Diante disso, a reportagem do Jornal O Dia foi apurar o perfil dos três capitães do Flamengo para entender e mostrar ao público o papel de Diego Alves, Diego Ribas e Everton Ribeiro no dia a dia do clube e como atuam nos bastidores.

DIEGO ALVES: É o terceiro da hierarquia dos capitães. Usa a faixa quando Diego e Everton Ribeiro não estão em campo, o que dificilmente acontece. Porém, o camisa 1 tem papel fundamental nos bastidores do Flamengo. Por ter voz ativa no grupo, não só pela experiência, mas também por estar no clube há muito tempo, o goleiro é visto como peça importante nas conversas com a diretoria. Quando a cúpula quer decidir, por exemplo, valores e prazos de pagamentos de premiações por títulos, ele é quem aparece para blindar os companheiros e assume a responsabilidade de conversar com a diretoria.

Dentro de campo, Diego Alves também tem voz ativa. Na vitória do Flamengo sobre o Coritiba por 3 a 1, no dia 20 de novembro, o goleiro gritou com o zagueiro Léo Pereira e deu orientações ao zagueiro. Como os jogos não estão tendo públicos, fica mais fácil para captar o que os atletas conversam em campo. Nesse dia, o camisa 1 disse as seguintes palavras após o defensor recuar uma bola.

“Cara&%. Chuta essa p#@ pra frente. Já falamos!”

Internamente, todos sabem que se fosse outro jogador no lugar de Diego Alves, como Hugo Souza, por exemplo, palavras nesse tom dificilmente teriam sido ditas. Como Diego Alves é um dos líderes e capitães, o episódio foi tratado como normal, pois esse tipo de cobrança também acontece nos treinamentos.

DIEGO RIBAS: Assim como Diego Alves, o meia também tem voz ativa internamente e mantém o elo entre elenco e diretoria. Porém, mais que isso, o camisa 10 é quem sempre chama a responsabilidade nos momentos tensos do time. É assim desde 2016. Pela personalidade forte, muitos jogadores relatam que se sentem representados pelo capitão número 1.

Após a eliminação na Libertadores, para o Racing, Diego Ribas, mais uma vez, fez o porta-voz do elenco e deu entrevista em mais um momento turbulento e recheado de cobranças.

“Cada um tem sua responsabilidade nas vitórias e nas derrotas. Toda mudança requer algum tempo de trabalho, são novas ideias, mas acima de tudo o que vem acontecendo é uma dedicação muito grande. Nem sempre se consegue um impacto imediato, mas a busca pela vitória e cobrança têm sido constantes. O elenco todo estada decepcionado no vestiário, mas é hora de levantar a cabeça”, disse Diego na ocasião.

Outro ponto destacado por fontes ouvidas pela reportagem é o comportamento de Diego no dia a dia. Embora seja reserva, o camisa 10 não deixa o conformismo reinar nas atividades e exige bom rendimento dos companheiros nos treinamentos. Há quem diga que o meia é um líder nato. “Nasceu para isso”, relatou uma pessoa.

EVERTON RIBEIRO: É um perfil de liderança diferente dos Diegos. Não costuma dar entrevistas, não é de mostrar muita voz ativa nos jogos, mas é considerado um líder técnico. Inclusive, ostentou recentemente a camisa 10 da seleção brasileira, quando Neymar não pôde jogar.

Na eliminação na Copa do Brasil para o São Paulo, no dia 18 de novembro, no Morumbi, Diego Ribas, por questões físicas, não foi relacionado e sequer entrou em campo. Então, como de praxe, a faixa de capitão foi utilizada por Everton Ribeiro. Após a derrota por 3 a 0, o camisa 7 não botou a cara para justificar aos torcedores a queda precoce na competição. O episódio foi emblemático para mostrar que o camisa 7 não tem o perfil de aparecer nas câmeras. O jovem Matheuzinho acabou sendo o responsável por dar explicações.

“Infelizmente, não foi o resultado que a gente queria. Não jogamos o que tínhamos para dar. Mas é levantar a cabeça que sábado tem mais. É isso, seguir”, resumiu Matheuzinho após derrota para o São Paulo.

Everton Ribeiro começou a usar a faixa nos tempos de Jorge Jesus, quando Diego Ribas sofreu grave lesão no tornozelo e se ausentou dos gramados por alguns meses. Na ocasião, o treinador português disse que buscaria um novo jogador para herdar o posto no período em que o camisa 10 não pudesse atuar. E encontrou: Everton Ribeiro.

“O Diego era um jogador que pensei que poderia fazer, jogador de personalidade muito grande, um líder, um bom profissional, esteve na Europa, conhece uma mentalidade de trabalho um pouco diferente, era para ele que eu estava apontando as minhas baterias. Mas, infelizmente, com a lesão dele, tenho de procurar outro.”

Com os três capitães, o Flamengo segue na busca pelo título do Campeonato Brasileiro 2020. Nesta quinta-feira, o confronto será com o Palmeiras, adversário direto na disputa pelo troféu da competição. Diego Alves, em fase final de recuperação de lesão muscular, ainda é dúvida para o jogo, que será às 19h, no estádio Mané Garrincha, em Brasília, pela 31ª rodada do torneio

Publicidade