João Gomes marca seu primeiro gol pelo Flamengo após 4 bolas na trave: “Na hora certa”
João Gomes marca seu primeiro gol pelo Flamengo após 4 bolas na trave: “Na hora certa”
Publicidade

GLOBO ESPORTE: Por Felipe Schmidt

Foram quatro bolas na trave nos primeiros sete meses como profissional do Flamengo. Mas o primeiro gol de João Gomes pelo clube onde está desde os oito anos de idade saiu em uma hora caprichada. No Maracanã, em um clássico, em uma final de Campeonato Carioca. Para o jovem volante, foi o “momento perfeito”.

Publicidade

– Esse gol saiu num momento perfeito. Às vezes a gente não entende os planos de Deus. Saiu no momento certo e na hora certa. Se e pudesse escolher, certamente seria este momento. Eu encaro meu dia de trabalho da melhor forma possível. Sempre com seriedade, sempre buscando minha melhor versão. Eu não fiquei abalado por conta das bolas na trave ou algo do tipo. Pelo contrário, continuei trabalhando ainda mais forte – disse João, em entrevista ao ge.

Logo que pegou o rebote de Marcos Felipe e mandou a bola para as redes, definindo o 3 a 1 e o título carioca, Gomes não pensou duas vezes sobre o que tinha que fazer. Era a hora de realizar algo que já vinha imaginando, possivelmente desde a primeira bola na trave, contra o São Paulo, em novembro de 2020.

– Sempre foi meu sonho fazer o que eu fiz. Deitar e meio que abraçar aquele escudo grandão atrás do gol do Maracanã. Assim que eu fiz o gol eu não pensei duas vezes em ir. Foi a realização de um sonho. Na minha comunidade foi uma festa. Na minha família também foi uma festa. Espero que este título entre para a história – completou.

O gol de João quebrou um jejum de 14 anos: desde Renato Augusto, em 2007, um jogador formado no Flamengo não marcava em uma final de Campeonato Carioca.

Neste cenário, o mais perto de conseguir isso era mesmo João. Ele é o atleta que mais atuou na atual temporada pelo Flamengo, com 19 jogos, e o terceiro mais utilizado por Rogério Ceni vindo do banco desde a chegada do treinador (17 vezes). Não à toa, o técnico forjou uma relação especial com o volante.

– Ele é um menino do bem, muito bom. Um dia falou para mim: “Antes de você chegar aqui, eu só era mais um. Hoje, eu me sinto especial”. Deve ter algum significado para há seis meses ele falar isso. Ser coroado com o último gol do campeonato… Para mim, fico feliz – disse Ceni, após o título carioca.

– Ele me deu bastante oportunidade para que eu pudesse mostrar melhor meu trabalho e minhas características. Isso vou ser eternamente grato a ele. Para mim é um prazer e uma honra dividir o meu dia a dia com uma pessoa tão vitoriosa quanto o Ceni – explicou João.

Homenagem ao avô O gol e a boa temporada do volante colocaram o jovem ainda mais em foco com a torcida. João é um típico jogador formado no Flamengo, desenvolvido desde criança no clube e com fortes laços com a cidade do Rio de Janeiro. Ele foi criado na comunidade do Piscinão de Ramos, na zona norte, e mantém suas raízes desde então.

No braço está tatuada a imagem de uma criança de mãos dadas com o avô, vislumbrando o dia em que poderia jogar no Maracanã. A placa do ônibus usado para ir aos treinos na Gávea, compõe a imagem. Para João, foi uma forma de homenagear Mirinho, seu avô, grande incentivador da carreira, falecido em 2019.

– Eu tenho certeza que de onde ele estiver ele está feliz pela minha trajetória, minhas conquistas. Estou no lugar onde ele sempre sonhou que eu chegaria. Espero continuar dando orgulho para ele e a minha família – finalizou João.

Com João Gomes à disposição, o Flamengo volta as atenções nesta semana para a Libertadores. Na quinta-feira, a equipe enfrenta o Vélez, no Maracanã, pela última rodada do Grupo G. O time já está classificado e precisa de um empate para garantir o primeiro lugar da chave.

Publicidade