“Jesus não tem nenhum rival de verdade aqui no Brasil”, diz Comentarista
“Jesus não tem nenhum rival de verdade aqui no Brasil”, diz Comentarista

No episódio desta semana do podcast Posse de Bola, Arnaldo Ribeiro, Eduardo Tironi, Juca Kfouri e Mauro Cezar Pereira analisaram a situação dos técnicos no futebol brasileiro em comparação ao português Jorge Jesus e a possibilidade de algum poder rivalizar com o comandante do Flamengo, líder do Campeonato Brasileiro com dez pontos de vantagem para o segundo colocado Palmeiras e finalista da Libertadores.

Mauro Cezar Pereira considera que o treinador português não tem nenhum que consiga rivalizar com ele nas condições atuais dos times em que se encontram, considerando a situação melhor do Flamengo que o Santos na comparação do trabalho de Jorge Jesus com o argentino Jorge Sampaoli, que também é elogiado pelo que seu time vem apresentando em 2019.

“O único rival que ele tem como técnico é o Sampaoli, mas com dificuldades que o argentino possui e que o português tem facilidades. Flamengo oferece facilidades e o Santos oferece dificuldades, por várias questões”, afirmou Mauro Cezar.

“Jesus não tem nenhum rival de verdade aqui no Brasil, os técnicos aqui não chegam perto do que ele é capaz de fazer. É claro que sempre vão ter os defensores de técnicos brasileiros que vão dizer que com esse time fulano faria. É achar que todas as pessoas são idiotas e vão acreditar em qualquer bobagem que os caras falam”, completou.

Juca Kfouri concorda que apenas Sampaoli faz um trabalho de alto nível nas condições de seu time e afirma que tem gostado de ver as atuações do Santos.

“Com o time, o elenco, o investimento e a situação política tudo muito incomparavelmente pior que o Flamengo, ele consegue fazer com que você veja um jogo de futebol como o Santos fez em Goiânia no sábado que você fala ‘que legal, que bom que eu vi esse jogo’. O Santos do Soteldo e do Sanchez”, pontuou Juca.

Os comentaristas esperam espera que os resultados apresentados por Jesus e Sampaoli possam mudar as perspectivas do nível de jogo do futebol brasileiro.

“É o grande choque que tomara que traga consequências positivas para o nosso futebol no ano que vem. Com a chegada de mais técnicos de fora e a qualificação dos brasileiros, com oportunidades para caras como o Tiago que vai assumir o Corinthians tenham chances de trabalhar em times maiores”, disse Mauro.