Globo dispensa Arnaldo Ribeiro após acusar comentaristas de arbitragem de interferirem em jogos
Globo dispensa Arnaldo Ribeiro após acusar comentaristas de arbitragem de interferirem em jogos
Publicidade

NOTÍCIAS DA TV: GABRIEL VAQUER

A Globo dispensou o comentarista Arnaldo Ribeiro, que atuava como debatedor do programa Seleção SporTV, apresentado por André Rizek. A decisão ocorreu na última terça-feira (3). A sua saída do programa ocorre após ex-árbitros da Central do Apito reclamarem de uma fala de Ribeiro em seu canal no YouTube, após a partida entre São Paulo x Palmeiras pelo Campeonato Brasileiro no último sábado (31).

Publicidade

Procurado pelo Notícias da TV, Arnaldo Ribeiro disse que não tem contrato fixo com o SporTV e que a decisão de não continuar suas participações é da própria emissora, que tinha essa liberdade editorial de mantê-lo ou não.

“Eu não sou funcionário da Globo. Sou convidado eventual. Então, participar ou não do programa depende do convite deles. A decisão é deles. Não tenho vínculo”, afirmou.

De fato, Ribeiro tinha algo pontual com a emissora. O jornalista recebia “por evento”, como dizia a emissora internamente. O jornalista, que teve passagem duradoura pela ESPN Brasil, era debatedor do Seleção SporTV desde outubro de 2019. O acordo eventual, uma das exceções do Esporte da Globo, fazia Arnaldo Ribeiro não ter vínculo com ninguém e permitia que ele fizesse trabalhos em outros veículos, como na TV Cultura, e na internet, em seu canal no YouTube e no UOL.

A saída de se deu após uma reclamação formal da equipe que forma a Central do Apito. Sandro Meira Ricci, Fernanda Colombo, Sálvio Spínola e Paulo César de Oliveira reclamaram que Ribeiro afirmou que os juízes de futebol marcam faltas ou lances polêmicos baseando-se no que comentaristas de arbitragem comentam em jogos e programas do Esporte da Globo.

“Para você entender a questão do pênalti revertido e o lance final, é o seguinte: o árbitro do VAR era o Péricles Bassols. Um árbitro péssimo e que virou comentarista de arbitragem na TNT. Sabe o que ele tem no WhatsApp? O grupo dos comentaristas todos. O pênalti do Marquinhos, quando atropela ele, passa por cima… O Luiz Flavio de Oliveira está de frente para o lance, é imperdoável. O Sálvio Spínola, na transmissão, fala que na visão dele não foi”, opinou Arnaldo.

“O Péricles Bassols manda no ouvido do Luiz Flavio de Oliveira, depois de ouvir o Sálvio: ‘Dá uma olhada, na transmissão estão falando que não foi’. É assim que funciona o VAR o Brasil. Não tem interpretação do árbitro em campo. A interpretação é da câmera lenta, do cara do VAR e depois de ele ouvir a Central do Apito”, declarou.

Na segunda (2), os profissionais que fazem a Central do Apito reclamaram formalmente com os seus chefes no Esporte da Globo. Disseram se sentir ofendidos pela fala de Arnaldo Ribeiro e que ela não fazia sentido algum. A Globo prometeu para os seus contratados que analisaria a situação e tomaria providências o quanto antes.

Em conversa na terça-feira (3) com a coluna, Arnaldo Ribeiro negou qualquer crítica direta para a Central do Apito: “Não estou sabendo da reclamação deles. No sábado, mais uma vez eu critiquei a utilização desastrosa do VAR no futebol brasileiro. Critiquei o comando da arbitragem e os árbitros do VAR e de campo. Para mim, estão todos perdidos. [Não fiz] Nenhuma crítica específica à Central do Apito. Pelo contrário”.

“Respeito a opinião deles (incluindo sobre o VAR), o trabalho deles e todos eles pessoalmente. Inclusive fui um dos responsáveis pela contratação do Sálvio para a ESPN –como primeiro comentarista de arbitragem da emissora (espécie de tabu até então). E, de novo, não é o foco do meu comentário. O foco é o quanto estão perdidos na utilização do VAR no futebol brasileiro. Essa é a discussão”, concluiu Arnaldo.

Procurada pela coluna desde a última terça-feira (2), a Globo não se posicionou até o fechamento da reportagem. Caso o faça, o texto será atualizado.

Publicidade