Flamengo pega Grêmio para manter sonho de título e sobrevivência de Ceni
Flamengo pega Grêmio para manter sonho de título e sobrevivência de Ceni
Publicidade

A unanimidade em torno de Rogério Ceni evaporou após 79 dias de sua chegada ao Flamengo. O técnico, que desembarcou no Rio de Janeiro abençoado pelas diferentes (e divergentes) correntes de poder do clube, tem seu destino praticamente selado e só uma guinada radical mudará o cenário.

Hoje, o Rubro-Negro encara o Grêmio, às 20h, em Porto Alegre, em jogo adiado pela 23ª rodada do Brasileirão, em partida que pode selar o destino do time no torneio e também de seu treinador. A cúpula decidiu pela permanência do ex-goleiro, mas a convicção é nenhuma. Uma derrota no Sul, ainda mais se vier acompanhada de mau futebol, dificilmente segura o profissional na Gávea.

Publicidade

“De fato, toda equipe do mundo que troca de treinador tem essa oscilação, é normal. Tem mudança de esquema, de treinamento, de postura. Porém, a gente tem de ganhar os jogos”, disse Willian Arão.

A sete pontos do líder Internacional, o Fla ainda fala em título brasileiro, mas a performance recente desanima. Para não tumultuar ainda mais um ambiente para lá de conturbado, o voto de confiança em Ceni é calculado, porém o prazo de validade depende apenas dos resultados. Na conjuntura atual, apenas a taça pode mudar o rumo das coisas.

“Faltam sete rodadas [somando o jogo atrasado de hoje], tem muita coisa para acontecer. A gente nunca deixou de acreditar. Mas não podemos pensar nos outros, temos de fazer nossa parte e ganhar nossas partidas”, acrescentou o volante.

Na corda bamba, Ceni vive dias de intensa pressão no clube. Ciente de que só as vitórias garantem a continuidade, ele se apega ao trabalho e ao bom trânsito com os jogadores. Embora haja algum desconforto por conta de escolhas, Ceni ainda tem respaldo no grupo.

O momento é de profunda reflexão no clube e recolhimento dos dirigentes, que evitam exposição neste momento de crise. Não há definição alguma em relação a eventuais nomes e os rubro-negros rezam para que uma aposta insegura se transforme em salvação.

Abatido depois da derrota por 2 a 1 para o Athletico, o time se agarra à matemática para seguir respirando. Contra os gaúchos, Ceni não irá contar com o zagueiro Rodrigo Caio e o goleiro Diego Alves, lesionados.

Retirado de: UOL

Publicidade