Flamengo passa o Palmeiras da Crefisa em faturamento com patrocinador
Flamengo passa o Palmeiras da Crefisa em faturamento com patrocinador
Publicidade

COLUNA DO FLA: Na última segunda-feira (17), o Flamengo fechou o último patrocínio para o uniforme. Conforme anunciado pelo clube, o Mais Querido tem acordo com a ABC da Construção, do ramo de peças. Assim, a marca estampará os calções do Manto Sagrado e, como mencionado, não há mais espaços disponíveis no Rubro-Negro. Dessa forma, o Mengo terá a farda mais valiosa do futebol brasileiro, com mais de R$ 130 milhões.

Vale destacar que, mesmo em época de pandemia e corte de gastos, o marketing do Flamengo conseguiu fechar quatro parcerias. Desde a cobrança da torcida pelo fim dos contratos de patrocínio, o Mengo teve acordo com a Moss (meião), Mercado Livre (costas), Havan (manga) e, agora, a ABC (calção). Com isso, além dos vínculos que já estavam em vigor, como o Master do Banco BRB, o Mais Querido teve um fluxo de caixa alto, fato muito importante.

Publicidade

CONFIRA OS VALORES DAS PARCERIAS DO UNIFORME RUBRO-NEGRO: Adidas (Material): R$ 38 milhões Banco BRB (Master): R$ 32 milhões Mercado Livre (Costas): R$ 30 milhões SportsBet IO (Detalhes): R$ 11,5 milhões Havan (Mangas): R$ 10 milhões ABC (Calção): R$ 5,6 milhões TIM (Detalhes): R$ 4 milhões Moss (Meiões): R$ 3,5 milhões

Apesar do alto valor de patrocínios, o Mais Querido ainda precisa de caixa, caso queira fechar o orçamento de 2021 ‘no azul’. Isso porque, graças ao cenário pandêmico, o Mengo deixou de arrecadar valores milionários de bilheteria e sócio torcedor. Dessa forma, a venda de um titular absoluto é seriamente cogitada já que o volante Gerson, ídolo e referência do Rubro-Negro, está com as tratativas encaminhadas com o Olympique de Marselha.

Com o uniforme repleto, o Mais Querido só precisa aprovar a parceria com a ABC Construtora. Como de praxe, as tratativas precisam passar pelo Conselho Deliberativo do Flamengo que, em votação, decide aprovar ou não o patrocínio. Contudo, vale lembrar que, até o momento, todos os acordos que passaram pelo CoDe do Mengo obtiveram o ‘ok’, incluindo o da Havan, que gerou muita polêmica nos bastidores do clube.

Publicidade