Flamengo faz ressurgirem antigos camisas 10
Flamengo faz ressurgirem antigos camisas 10
Publicidade

Arrascaeta, Diego Ribas e Bruno Henrique no Flamengo – Foto: Divulgação

UOL: Leo Burlá

Publicidade

Alvo de devoção entre os torcedores do Flamengo, o número 10, imortalizado por Zico no clube, é usado por Diego. Ocorre que o técnico Rogério Ceni povoou seu time titular de “camisas 10” e viu um novo Fla nascer a partir daí.

Com o recuo de Arão para a posição de zagueiro, Diego, um meia de ligação desde as categorias de base do Santos, ganhou uma vaga. Ao lado do capitão, Gerson, Arrascaeta e Everton Ribeiro, todos jogadores que têm na construção um ponto forte.

Gerson, por exemplo, iniciou sua trajetória no Fluminense como um homem de ligação entre o meio e o ataque. No futebol europeu, deu alguns passos para trás em seu posicionamento, mas nunca deixou de pensar o jogo olhando adiante.

Esse time mais “romântico”, no entanto, obriga os astros a se desdobrarem na marcação para conseguirem atuar juntos. Desde que a formação foi testada (triunfo por 2 a 0 sobre o Palmeiras), o time soma quatro vitórias e uma derrota. Para além dos números, o desempenho é o que anima o torcedor. Com esta formação, o time ficou mais sólido e demonstra uma vontade incansável de ter a bola sob seu domínio.

“O Flamengo é um time propositivo. Aliás, tem muito a ver com nosso adversário de domingo [Red Bull Bragantino]. Para jogar nesse tipo de formação, é preciso ter a bola. Fico feliz de ver um time que tem Diego e Gerson no meio e joga com apenas um zagueiro”, disse Rogério Ceni.

Na vitória por 2 a 0 sobre o rival Vasco, o quarteto teve participação ativa nas fases defensiva e ofensiva. Arrascaeta, por exemplo, fez três desarmes no campo de defesa do Fla, mesmo número de bolas roubadas por Ribeiro.

“O que eu posso falar é que nós estamos jogando numa intensidade um pouco maior. Só me dá medo sempre o terceiro jogo em três dias. Acho estranho outra coisa: Inter e Atlético jogam na quarta, só o Flamengo joga no domingo. Foco eu não acredito que falte, espero também que não falte perna”, completou o técnico.

De fato, o Rubro-Negro é o único dentre os três principais postulantes ao título que volta a campo nesta semana. No domingo (7), o time encara o Red Bull Bragantino, às 20h30, no Nabi Abi Chedid. Se vencer, chega à liderança pela primeira vez. Gaúchos e mineiros descansam e volta a atuar na quarta-feira (10).

Para encarar o adversário, o time carioca não terá o quarteto inteiro à disposição. Suspenso pelo terceiro amarelo, Diego está fora. Em recuperação de entorse no tornozelo, Gerson será novamente avaliado hoje (6), mas a tendência é que atue em Bragança Paulista. Para a vaga de capitão, Ceni estuda as opções. Arão, Pepê e João Gomes são as alternativas disponíveis.

Publicidade