Flamengo chega ao seu limite financeiro por Rafinha
Flamengo chega ao seu limite financeiro por Rafinha
Publicidade

Rafinha, lateral-direito no Flamengo – Foto: Alexandre Vidal

EXTRA GLOBO: Diogo Dantas

Publicidade

O Flamengo decidiu que não vai ceder em nada em relação à proposta apresentada para Rafinha voltar ao clube. Os números passados pelo lateral ao clube foram considerados acima do orçamento, e a negociação estacionou.

Agora, o vice de futebol Marcos Braz negocia diretamente para que Rafinha e seu estafe cedam para o acordo sair. A diretoria rubro-negra já concluiu que não vale a pena fazer a contratação se não for dentro da realidade apresentada ao atleta.

Aos 35 anos, Rafinha precisa dizer “sim” à oferta de contrato até o fim de 2021, com salário menor do que recebia na última passagem, antes de ir para a Grécia. Como volta livre, depois de rescindir com o Olympiacos, pede luvas e comissão para o empresário. O Flamengo faz jogo duro.

Representantes do jogador ainda trabalham opções no mercado brasileiro caso não haja acerto com o Flamengo. A diretoria rubro-negra entrou na negociação confortável em função da presença do chileno Isla e do fim de temporada com título do Brasileirão.

Em entrevista à ESPN, Marcos Braz indicou novamente que o Flamengo não tem nenhum acordo encaminhado com Rafinha.

— Em nenhum momento eu falei que estava chegando ou que estava fechando. A minha relação com o Rafinha é muito boa. Agora, tem essa parte da pandemia, das receitas, e a gente está analisando com calma. Eu sou sempre otimista quando a gente está em alguma operação para fazer as contratações. Isso é certo do Rafinha vir agora? Não, a gente vem conversando — declarou Braz.

Rafinha tem a seu favor o lobby feito pelas principais lideranças do Flamengo, como Diego Alves e Filipe Luis. A questão é que a postura da diretoria é a mesma que adutou na renovação do goleiro. O perfil do jogador também é semelhante. Vindo da Europa, mas com idade avançada, em fim de carreira. O ponto é que Rafinha voltaria para o Flamengo sem seus vencimentos no mesmo patamar de seus colegas. Quando saiu, em 2020, negociava a renovação, e agora terá que voltar com uma redução. O que claramente cria um clima de certo desgaste. Ainda mais por ter que chegar para brigar por uma vaga na equipe que não será sua.

Publicidade