Ex lateral do Flamengo revela experiencia vivida com o treinador Jorge Jesus: “Ele me xingava muito, me dava muita dura”
Ex lateral do Flamengo revela experiencia vivida com o treinador Jorge Jesus: “Ele me xingava muito, me dava muita dura”

Para Rodrigo Alvim, ex-lateral do Flamengo, a sua carreira divide-se em dois momentos: antes e depois de Jorge Jesus, técnico Campeão do Campeonato Brasileiro e da Copa Libertadores pelo clube da Gávea.

Revelado pelo Grêmio, ele conheceu o português quando atuava pelo Paraná, no meio de 2006. Durante as férias do futebol europeu, Jesus foi visitar o amigo Caio Júnior, então treinador da equipe paranaense.

“O Jorge Jesus costumava vir ao Brasil quase todos os anos para visitar ex-jogadores e observar possíveis reforços. Ele viu um treino no qual eu fui muito bem e gostou de mim. Ele fez uma proposta e o clube liberou. Eu tinha esse sonho de vir para Europa e deu tudo certo”, contou Rodrigo Alvim, ao site ESPN.

Contratado pelo Belenenses-POR, o brasileiro levou um tempo até se acostumar com o jeito do treinador.

 

“Ele me xingava muito, me dava muita dura. Como eu tinha chegado do Brasil, eu não tinha essa cultura tática tão grande como é na Europa. Mas ele teve muita paciência comigo e pude absorver. Ele adorava falar frases de impacto. É um lado bem engraçado”, contou.

Com apenas 21 anos, Rodrigo tinha o sonho de permanecer na Europa.

“A minha carreira pode ser dividida entre antes e depois de Jorge Jesus. Tive uma evolução muito grande, pude aprender novos posicionamentos. Ele gosta de ensinar e te dá muitas informações. É um treinador muito diferenciado”, elogiou.

A determinação que Jesus exigia de seus jogadores era o que mais impressionava o lateral.

“Ele gostava de mudar o time taticamente no meio do jogo. Na nossa época, ele levanta a mão ou avisava o capitão para trocarmos o sistema. Outras vezes, ele pedia para a gente começar de uma forma e depois mudar aos 20 minutos do primeiro tempo. Era tudo treinado durante a semana anterior.”

Junto com o “mister”, o lateral foi vice da Taça de Portugal (sendo derrotado pelo Sporting na final) e conseguiu uma vaga na Europa League.

Alemanha e Flamengo

Rodrigo Alvim chamou atenção do técnico Felix Magath, do Wolfsburg, quando atuou pelo Belenenses contra o Bayern de Munique, em jogo válido pela Europa League na temporada 2007/2008. Contratado pela equipe da empresa Volkswagen, ele esteve no elenco que venceu a Bundesliga de forma surpreendente em 2009.

“O Jorge Jesus só trabalha com bola nos treinos técnicos e táticos. Já com o Magath, era totalmente diferente. Só trabalho físico, subir montanhas… Foi o técnico que mais me fez sofrer (risos). Mas foi uma experiência muito enriquecedora. Fomos campeões da Bundesliga com o Wolfsburg, algo muito difícil de ser repetido. Aprendi que não existe receita certa para o sucesso! Nosso sacrifício valeu muito a pena.”

Em 2010, ele estava sem espaço na equipe alemã e acertou com o Flamengo, campeão brasileiro do ano anterior, para jogar a Libertadores.

“Foi maravilhoso jogar no Flamengo. Nós fomos campeões invictos do Estadual [2011] e ficamos quase sete meses sem perder. Se pudéssemos ter jogado no Maracanã poderíamos ter chegado ainda mais longe”, lamentou.

Na Gávea, Rodrigo Alvim voltou a jogar com Ronaldinho Gaúcho, seu amigo dos tempos de Grêmio.

 

“Ele é um amigo muito querido. A vitória contra o Santos por 5 a 4 na Vila Belmiro foi o jogo mais marcante para mim. O Ronaldinho me contou que ia bater a falta por baixo da barreira. Estávamos perdendo e conseguimos reverter o placar. A partida foi em 2011, mas todo mundo fala dela até hoje!”, afirmou.

Empresa nos EUA

Em 2012, o lateral deixou o Flamengo. Passou por Joinville-SC, Paysandu-PA, Miami Dade-EUA e Miami United-EUA, antes de pendurar as chuteiras, em 2016. Desde então, ele fatura com uma empresa nos Estados Unidos.

“Abri um negócio em Miami de importação da China de acessórios de celular. Meu sócio hoje toca mais isso por lá. Fiquei um tempo por lá me preparando para a nova fase da vida depois do futebol. Eu faço alguns eventos, trabalho com algumas marcas e viajo bastante tentando me encaixar no mercado de trabalho. Não tenho vontade de ser treinador ou empresário de jogador”, confessou.

“Pude conhecer a cultura norte-americana em uma cidade que gostei muito. Desejo morar futuramente por lá”, projetou.

Mesmo afastado do futebol, ele não esquece de Jorge Jesus. Recentemente, ele jantou junto com o “mister” em um restaurante no Rio de Janeiro.

“Foi muito bacana. Fazia muitos anos que não nos víamos pessoalmente, só nos falávamos por telefone. Deu para matar as saudades e conversamos bastante. O Rio é uma cidade maravilhosa, e com as coisas acontecendo bem no Flamengo você está no céu. Não tem como não gostar”, finalizou.

Retirado de: ESPN