Condições impostas pelo Flamengo agradam Rafinha, e partes agendam nova reunião
Condições impostas pelo Flamengo agradam Rafinha, e partes agendam nova reunião
Publicidade

Rafinha, campeão Carioca 2020 pelo Flamengo – Foto: Divulgação

GLOBO ESPORTE: Por Cahê Mota

Publicidade

Paciência, otimismo e cartas na mesa. Dessa maneira, Flamengo e Rafinha conduzem a negociação para retomarem a relação de sucesso interrompida em agosto de 2020. O lateral não se opôs ao cenário apresentado ao seu representante, Lincoln, e o clube aguarda uma sinalização por reunião presencial para debater números. Enquanto isso, um lado foca na disputa pelo título do Brasileirão e o outro nas férias com a família.

Firme na corrida com o Internacional a três rodadas do fim do campeonato, o Flamengo toma cuidado para que o noticiário de mercado não se sobreponha ao que acontece em campo. Rafinha tem consciência disso e concorda que não é momento de ser protagonista. A boa relação faz com que as partes joguem limpo e sem pressão por um desfecho imediato.

Apesar de contar com dois representantes, o ex-jogador Lincoln e Ricardo Scheidt, que atua mais no mercado internacional, Rafinha tem contato direto com Marcos Braz e Bruno Spindel para discutir a questão. Mais do que valores, o acerto passa muito pela decisão de rumo que o jogador tomará para carreira.

Aos 35 anos, Rafinha ainda reflete sobre um retorno ao Brasil, que seria definitivo, ou possibilidades de mercado no exterior. Com a janela europeia fechada, o Flamengo confia no desejo mútuo para que a parceria seja restabelecida. A concorrência no mercado doméstico não preocupa.

Apesar das muitas especulações, Rafinha não recebeu nenhum contato formal de outro clube brasileiro e tem em mente que só abrirá conversas após esgotar as possibilidades com o Flamengo. A trajetória vencedora, a identificação com a torcida e o ótimo relacionamento com funcionários são fatores que abrem o caminho e definem a prioridade.

Em almoço na Zona Sul do Rio de Janeiro na última quarta-feira, Braz e Spindel expuseram para Lincoln a realidade do Flamengo para temporada 2021. O desejo pelo retorno foi manifestado, mas em termos similares ao que ditaram a renovação com Diego Alves: um ano de contrato e salário similar ao que já recebia quando deixou o clube e foi para o Olympiacos.

Rafinha não viu problema no cenário e ficou de avançar nas conversas já no Rio de Janeiro. As partes ainda não falaram em valores ou outros detalhes como cláusulas por metas e conquistas. Em desembarque no Brasil na manhã de segunda-feira, o lateral tratou o tema com leveza:

– Eu sempre deixei claro, todo mundo sabe o carinho que eu tenho pelo Flamengo. Mas não vou me precipitar, cheguei agora. Vou sentar com eles essa semana, matar saudade da minha família. Essa semana a gente senta com calma e conversa. Por conta da janela para inscrição de jogadores vindos do exterior, Rafinha só poderá entre em campo a partir de 1º de março, o que faz com que toda negociação seja conduzida com ainda mais tranquilidade. Pelo Olympiacos, o jogador disputou 22 partidas em seis meses.

Domingo, às 16h (de Brasília), o Flamengo recebe o Corinthians, no Maracanã, pela 36ª rodada do Brasileirão. Antes, nesta quarta-feira, seca o Inter em duelo com o Sport, ainda pela 35ª rodada. Com duas partidas disputadas na competição, Rafinha já veste rubro-negro. Desta vez, como torcedor. Pelo menos por enquanto.

Publicidade