Com estádio próprio, Flamengo deseja comprar clube nos Estados Unidos ou na Europa
Com estádio próprio, Flamengo deseja comprar clube nos Estados Unidos ou na Europa
Publicidade

Rodolfo Landim durante entrevista coletiva na Gávea (Foto: Agência Foto BR)

O Flamengo se tornou uma potência dentro de campo e trabalha nos bastidores para quebrar barreiras fora dele. Em 2020, a atual diretoria tinha um projeto de comprar um clube da Major League Soccer (MLS), principal campeonato de futebol dos Estados Unidos, que também conta com clubes do Canadá.

Publicidade

Além disso, a chegada do Rubro-Negro aos EUA englobaria uma construção imobiliária que iria erguer um novo bairro em Las Vegas, o Cushman District. O plano era comandado pelo vice-presidente financeiro do clube, Rodrigo Tostes, que, na ocasião, residia no país norte-americano.

A ideia era expandir a internacionalização da marca do Flamengo e ter uma filial do clube brasileiro em Las Vegas, com direito a um estádio próprio. Mas, com a pandemia da Covid-19 e as dificuldades burocráticas encontradas, o projeto acabou não saindo do papel naquele momento. No começo de 2021, Rodrigo Tostes voltou a morar no Brasil, mas a intenção de o Rubro-Negro comprar um clube do exterior não caiu no esquecimento, pelo contrário.

Segundo apurou a reportagem, Rodrigo Tostes mantém contato com clubes dos Estados Unidos e também da Europa, e as conversas estão a todo vapor. Reuniões semanais acontecem entre os membros da diretoria do Flamengo que estão envolvidos no projeto junto com o presidente Rodolfo Landim. O jornal ‘O Dia’ tentou falar com o VP Financeiro do Rubro-Negro para ouvi-lo sobre o assunto, mas, até o momento, não obteve resposta.

Nos corredores da Gávea, o assunto tem sido muito debatido, e fontes da reportagem garantem que Rodrigo Tostes tem trabalhado de forma intensa nesse propósito. Os nomes dos clubes não foram revelados por conta de acordos contratuais.

Apesar de 2021 ainda estar no começo, o sentimento internamente é que o projeto de ter uma filial no exterior, caso saia de fato do papel, seja concretizado apenas em 2022, independentemente de quem seja o presidente no próximo triênio (tem eleição presidencial no Flamengo em dezembro deste ano).

Retirado de: O Dia

Publicidade