Carioca é chance de Muniz justificar porque subiu aos Profissionais
Carioca é chance de Muniz justificar porque subiu aos Profissionais
Publicidade

Rodrigo Muniz em treino do Flamengo – Foto: Alexandre Vidal

UOL: Ainda de “ressaca” pela conquista do Brasileirão, o Flamengo dá o primeiro passo na busca pelo tri no Campeonato Carioca. A estreia no Estadual acontece hoje (2), às 21h35, no Maracanã, contra o Nova Iguaçu, em um duelo que a torcida rubro-negra poderá ver integrantes da nova safra da base e alguns rostos já conhecidos, como o do atacante Rodrigo Muniz.

Publicidade

Cria do clube da Gávea, Muniz terá a chance de mostrar que valeu o voto de confiança que recebeu de Rogério Ceni meses atrás e pode, sim, brigar por espaço no setor ofensivo, ainda mais em meio a uma temporada que promete novamente um apertado calendário.

Destaque nas categorias inferiores, o atacante fez parte do início do Carioca do ano passado, quando o Fla também utilizou a equipe sub-20. Posteriormente, acabou emprestado ao Coritiba. No Coxa, participou de seis partidas no Brasileiro e fez um gol.

A passagem pela capital paranaense durou pouco mais de um mês por conta de um pedido de Ceni, então técnico recém-chegado. O comandante demonstrou intenção em utilizá-lo, e o Flamengo solicitou o retorno do atacante. Nesta nova etapa na Gávea, foi acionado em quatro oportunidades, nos clássicos com o Botafogo e Fluminense, contra o Ceará e diante do Athletico-PR.

O jovem, inclusive, esteve envolvido em uma pauta de grande repercussão sobre o trabalho do treinador no Rubro-Negro. Na Ceni havia indicado que não pensava em atuar com Pedro e Gabigol simultaneamente, mas chegou a colocar Pedro e Muniz. Ao explicar, o treinador apontou que o jovem pode desempenhar um papel também fora da área.

“Jogam na mesma posição porque é de área. Pedro e Gabriel, eu posso colocar os dois juntos, mas não consigo ter a recomposição defensiva e o jogo é, no mínimo, em duas partes: quando você tem a bola e quando você perde a bola. Os dois se esforçam, quebram um galho, mas não são marcadores de natureza. O Muniz já tem a parte de chegar na área, o jogo aéreo, para o cabeceio e finalização, mas ele consegue fazer um lado do campo, para que também não sofra contra-ataques. O Gabriel não faz o lado do campo. O Pedro não faz o lado do campo. O Muniz consegue jogar centralizado, deixar o lateral passando pela direita, deixar o ponta passando pela esquerda, com os meias chegando, mas ele na hora de recompor consegue fazer essa recomposição lateral”, disse, na ocasião.

A questão é que, após a derrota para o Furacão, Muniz acabou não sendo mais utilizado nas rodadas restantes do Brasileiro. Agora, nesta fase inicial do Carioca, volta a ter holofote e oportunidade de provar que valeu a pena a solicitação pelo retorno.

Maurício Souza demonstra confiança Técnico do sub-20, Maurício Souza é quem estará à beira do gramado neste começo do Carioca. Ele admite que a ausência de tempo para treinamento com todo o grupo pode ser um obstáculo, mas demonstra confiança no time.

“A equipe sub-20 do Flamengo já treina há um mês para esta competição. Uma equipe com média de idade baixa. Hoje, tivemos o incremente dos atletas que estavam disputando o Brasileiro com o profissional. A gente sabe que essa junção se faz muito próxima do jogo. O ideal era que tivesse um tempo maior para unir o sub-20 com esses que tiveram apenas uma sessão de treinos para este jogo. Porém, acreditamos muito na equipe, sabemos que os atletas estão extremamente motivados”, disse, ao site oficial.

Natan e João Gomes se destacaram Outros dois nomes que se tornaram mais conhecidos do grande público em 2020 e vão estar neste início de Carioca são o zagueiro Natan e o volante João Gomes. Os jovens tiveram oportunidades e corresponderam, ganhando espaço no elenco.

Diante da má fase pela qual passou Gustavo Henrique e Leo Pereira, a torcida chegou a pedir Natan como titular na equipe rubro-negra. Em outubro, o Fla assinou um novo vínculo com validade até 2024.

Já João Gomes ganhou chance na ausência de Arão e, posteriormente, quando o camisa 5 se tornou zagueiro no esquema desenhado por Ceni. Recentemente, ele renovou contrato até 2025.

Publicidade