Árbitro não relata em súmula cantos homofóbicos da torcida do Atlético MG contra o Flamengo
Árbitro não relata em súmula cantos homofóbicos da torcida do Atlético MG contra o Flamengo
Publicidade

COLUNA DO FLA: O Flamengo foi derrotado por 2 a 1 para o Atlético-MG, nessa quarta-feira (22), pela ida das oitavas de final da Copa do Brasil. O confronto, no entanto, ficou marcado pelos gritos homofóbicos entoados da arquibancada atleticana. O árbitro Luiz Flavio de Oliveira (FIFA/SP) não relatou o fato em súmula.

Aos 14 minutos do segundo tempo, a torcida do Atlético-MG proferiu fortemente no Mineirão gritos homofóbicos e misóginos contra os rubro-negros. O árbitro Luiz Flavio de Oliveira, inclusive, chegou a pausar rapidamente a partida e solicitou a ajuda de Hulk, atacante alvinegro, para pedir que os torcedores parassem.

Publicidade

Luiz Flavio de Oliveira, mesmo assim, não relatou o fato na súmula, o que deveria ser feito. Para contextualizar, o cântico dizia: “Tu és time de otário e cuz**, put*, viad* e ladrão, tomar no c*, Mengo“, em tom bastante ofensivo contra os torcedores rubro-negros.

O Flamengo, agora, tenta esquecer o episódio lamentável para focar no próximo compromisso rubro-negro. A equipe comandada por Dorival Júnior volta a campo às 19h (horário de Brasília) de sábado (25), contra o América-MG. O confronto é válido pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro e será disputado no Maracanã.

Publicidade