3 meses após mudanças no DM, Flamengo reduz número de lesões
3 meses após mudanças no DM, Flamengo reduz número de lesões
Publicidade

 

Após novas contratações e mudança de estratégias, o Departamento Médico do Flamengo voltou a ter o número de lesionados reduzido.

Publicidade

No ano passado, um dos setores mais criticados era o departamento chefiado pelo Dr. Márcio Tannure. O motivo do grande descontentamento foi o alto número de atletas que se lesionaram, juntamente com o tempo que eles demoravam para se recuperar delas.

Visto o problema que estava afetando os resultados do time em campo, em outubro, o Departamento de Saúde e Alto Rendimento do Flamengo realizou mudanças no quadro de profissionais. As alterações geraram questionamentos dentro e fora do Fla na época. A chegada de Rogério Ceni também impactou os resultados obtidos, uma vez que sua equipe técnica trouxe tratamentos preventivos nos treinos.

Evolução no Departamento Médico

MêsJogadores lesionadosOutubroDiego (lesão muscular grau 3 na coxa), Diego Alves (dor no ombro esquerdo), Gabigol (entorse no tornozelo direito), Arrascaeta (dores no joelho e no músculo posterior da coxa esquerda), Rodrigo Caio (dores no joelho direito e lesão na panturrilha) e Pedro Rocha (transição após re-lesão na coxa direita)NovembroFilipe Luis (lesão grau 2 na coxa direita), Pedro (lesão muscular de grau 2) e Thiago Maia (lesão no joelho e cirurgia).DezembroWillian Arão (lesão grau 2 na coxa direita) e Diego Alves (lesão na coxa direita)JaneiroSem nova ocorrência até o momento

Hoje, 3 meses após a reformulação, o DM do clube possui apenas Diego Alves e Thiago Maia. O goleiro ainda trata lesão sofrida no final do ano passado e o meia realiza fisioterapia após ter feito cirurgia de reconstrução dos ligamentos do joelho.

Publicidade