Ídolo do Flamengo, Júlio César revela as primeiras ‘descobertas’ com Jorge Jesus e diz: ‘Revolucionou o futebol brasileiro’
Ídolo do Flamengo, Júlio César revela as primeiras ‘descobertas’ com Jorge Jesus e diz: ‘Revolucionou o futebol brasileiro’

Júlio César vestiu a camisa do Flamengo em 284 oportunidades, além de conquistar quatro Cariocas e uma Copa Mercosul. E foi no Benfica, na temporada 2014/15, que o ex-goleiro teve a oportunidade de trabalhar com o atual técnico do Rubro-Negro, Jorge Jesus. Júlio é só elogios ao treinador.

Jorge Jesus com Júlio César e Juan, ainda em seus primeiros dias no Brasil (Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)

Durante entrevista em transmissão ao vivo pela página Eleven Sports Portugal no Facebook, Júlio César revelou as primeiras “descobertas” a respeito das características de Jesus, que já havia sido elogiado por David Luiz, em consulta.

— Eu não conhecia pessoalmente Jorge Jesus antes de trabalhar com ele, ainda que o David Luiz me dissesse que ele era um fenômeno, o melhor treinador com quem tinha trabalhado. E, quando trabalhei com Jesus, descobri um treinador exigente, apaixonado, muito bom taticamente. Com ele fiz a minha melhor temporada em Portugal – falou o ex-arqueiro, emendando:

— E agora estou muito contente por ele estar no clube do qual eu sou torcedor. A chegada dele ao Flamengo revolucionou o futebol brasileiro e contribuiu para aproximar, ainda mais, Portugal e o Brasil.

Mais trechos da entrevista:

Escolha pelo Benfica:

 Depois da derrota no Mundial de 2014 contra a Alemanha, passei por um momento difícil a nível emocional. Considerei me aposentar e cheguei a dizer a um amigo que só continuaria a jogar se fosse para ser no Benfica, pois o “namoro” com o Benfica já era antigo. O presidente Luís Filipe Vieira disse para eu pegar um avião para negociarmos e demoramos menos de uma hora para chegar a um acordo. E só posso lhe agradecer, porque jogar no Benfica foi incrível.

Na Inter, o auge:

— Foi um ano fantástico. A Champions foi a cereja no topo do bolo de todo o investimento que Massimo Moratti fez no clube. Cumpriu-se o sonho dele, mas também de muitos torcedores da Inter, que esperaram 45 anos para ver o clube ser campeão da Europa de novo. Cada um de nós, os jogadores que fizemos parte daquele plantel, escrevemos o nosso nome na história do clube (em referência à conquista da Liga dos Campeões de 2009/10).

Jose Mourinho e seu melhor:

— Ele chegou com o objetivo de ganhar a Champions e, na segunda temporada, conseguiu. O melhor que Mourinho tinha era a confiança que passava para a equipe. Cada jogador, após as palestras dele, se sentia o melhor do mundo. Para vencer a Champions em 2010, nós vencemos o Chelsea, que seria campeão inglês, o CSKA, que seria campeão russo, o Barcelona, a equipe a ser batida naquela altura, e o Bayern de Munique, que, se tivesse vencido a final, teria conseguido o triplete. Naquela Inter, todos nós despimos de vaidade e remamos na mesma direção.

Retirado de: Lance